Loading...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Como economizar com telefonia " Ligando de Graça "

Hoje no Brasil existe um monopólio grandioso, na telefonia que torna o serviço cada vez mais caro e cada vez mais essencial.

Atualmente temos telefone fixo onde a tarifa mais baixa em ligação gira entorno de R$ 0,10 fixo para fixo e R$ 0,80 fixo para celular.

Telefonia celular que o custo mais baixo é de R$ 0,25 por chamada para mesma operadora ou fixo, e R$ 1,20 para outras operadoras.

Outro sistema  que não tem tanta divulgação no País é o sistema VOIP (voz sobre IP), simplificando chamadas telefônicas originadas de um computador ligado a internet.

Como a maioria das empresas hoje possui um PC e uma banda larga, este sistema pode ser usado, como forma de comunicação e melhor com baixo custo operacional.

Existem varias empresas de telefonia Voip, mas a que fiz opção é bem simples, qualquer leigo opera e faz chamadas por 30 minutos grátis por dia,  ligações grátis para vários Países e caso queira falar mais você adiciona creditos e cada chamada para fixo será completada assim ( 2 minutos grátis e depois R$ 0,0462 por minuto extra), independente de ser chamadas internacionais, interurbanas ou local .

Na telefonia movel os preços variam para cada Pais , no Brasil algo em torno de R$ 0,26 a chamada o que não deixa de ser economia, melhor ainda sem taxas de adesão, pacotes de serviços e ou fidelidade.

Tabela atualizada clik aqui !

Antes de realizar cada chamada o software ainda indica qual o valor da ligação antes de discar e durante a chamada.

Cadastre no link : http://www.adphone.com/inviteduser.asp?invitefrom=emersonassuncao&invitecode=b6dc4e4988c73e6135ad7078d88cc3a5


Veja o tutorial abaixo :


1º - Passo : abra o link, clik no botão redondo laranja




 2º Passo : Baixe o programa  e se cadastre no site











Pronto você já pode fazer suas chamadas de 2 minutos Grátis para qualquer telefone fixo no Brasil !

Mas utilize este link para acesso e cadastro pois , quando você se cadastra através de uma indicação, como esta que estou disponibilizando, após você fazer duas chamadas usando o software, eu recebo uma bonificação de 10 UNITS, que depois que você se cadastra também recebera, por cada indicação sua.

Esta dica  vale ser divulgada !

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Comprador de imóvel assume riscos ao não exigir certidões judiciais

Quem compra imóvel “enrolado” em processo judicial fica sujeito a suportar as consequências, a menos que consiga provar que não tinha como saber da existência do litígio – e o ônus dessa prova é todo seu. Do contrário, o comprador terá de se submeter aos efeitos da decisão que a Justiça vier a dar à disputa entre o vendedor e a outra parte.
A advertência foi feita na Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pela ministra Nancy Andrighi, relatora de um recurso cujo autor tentava evitar a perda do apartamento que havia adquirido de um banco. Este, por sua vez, arrematara o imóvel em leilão, no curso de uma execução hipotecária.
“O adquirente de qualquer imóvel deve acautelar-se, obtendo certidões dos cartórios distribuidores judiciais que lhe permitam verificar a existência de processos envolvendo o vendedor, dos quais possam decorrer ônus (ainda que potenciais) sobre o imóvel negociado”, afirmou a ministra. A decisão da Turma, contrária ao recurso, foi unânime.
Em 1986, a Caixa Econômica Federal executou a dívida de um casal no Rio de Janeiro e levou seu apartamento a leilão, sendo arrematante o Banco Morada S/A. O casal entrou na Justiça e quase seis anos depois conseguiu anular o leilão.
Enquanto a Justiça discutia os recursos do caso, em 1996 – quando já havia sentença anulando a arrematação – o Banco Morada assinou contrato de promessa de venda com outra pessoa, negócio finalmente concluído em 2001. Em 2007, o casal obteve decisão favorável à reintegração na posse do imóvel e ao cancelamento de quaisquer registros de transferência da propriedade para terceiros.
O Código de Processo Civil diz que, na compra de um bem sob litígio, a sentença judicial estende seus efeitos ao comprador. Segundo a ministra Nancy Andrighi, essa regra deve ser atenuada para se proteger o direito do comprador que agiu de boa-fé, “mas apenas quando for evidenciado que sua conduta tendeu à efetiva apuração da eventual litigiosidade da coisa adquirida”.
Desde 1985, para a transferência de imóveis em cartório, a legislação exige que sejam apresentadas certidões sobre existência ou não de processos envolvendo o bem objeto da transação e as pessoas dos vendedores.
“Não é crível que a pessoa que adquire imóvel desconheça a existência da ação distribuída em nome do proprietário, sobretudo se o processo envolve o próprio bem”, acrescentou a relatora. Ela disse ainda que “só se pode considerar de boa-fé o comprador que adota mínimas cautelas para a segurança jurídica da sua aquisição”.
O mais grave, no caso, é que, embora não houvesse registro da existência do processo junto à matrícula do apartamento no cartório de imóveis, ainda assim o contrato de compra e venda informava que o comprador tinha solicitado as certidões dos distribuidores judiciais, estando, em princípio, ciente das pendências existentes sobre o imóvel.
O recurso foi interposto contra decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), que já havia concordado com a reintegração do casal (os proprietários originais) na posse do imóvel. Ao tomar essa decisão, o TRF2 observou que nada impedia o comprador de mover ação indenizatória contra o Banco Morada, tanto pelo valor investido no negócio como por eventuais benfeitorias realizadas no apartamento.
Fonte: Site STJ

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

QUAL A IMPORTÂNCIA DE REGISTRAR AS NEGOCIAÇÕES IMOBILIÁRIAS NOS CARTÓRIOS APROPRIADOS?

Prosseguindo com os esclarecimentos sobre as funções dos cartórios e dos registros públicos nas transações imobiliárias, vamos tratar aqui dos Tabelionatos de Notas e dos Cartórios de Registro de Imóveis.

TABELIONATO DE NOTAS

Os Tabelionatos de Notas, também conhecidos como Cartórios de Notas ou Serviço Notarial, cujo responsável é o tabelião de notas, são aqueles onde se elaboram os instrumentos públicos, ou seja, são lavradas as escrituras públicas de venda e compra, de doação, de testamento, de procuração, de pacto antenupcial, de instituição de usufruto, de emancipação, de instituição de hipoteca, dentre outras. No Tabelionato de Notas são feitas ainda, as autenticações de documentos, o reconhecimento de firma e a elaboração da ata notarial.

Sempre que se lavra uma escritura pública, a parte que tenha participado da escritura recebe o que se chama de “traslado”, ou seja, a primeira via da escritura. Se houver necessidade de mais vias, então o tabelião providenciará uma certidão dando conta do ato que está formalizado por meio da respectiva escritura pública. No valor pago a título de emolumentos ao tabelionato, está incluído o custo de um traslado da escritura; as certidões, entretanto, são cobradas em separado.

A ata notarial é um relato de fatos, feito pelo tabelião, para que, se o caso, seja utilizado para produção de prova em algum processo judicial ou arbitral.

Quanto às autenticações, verificamos que no cartório são feitas duas espécies de autenticação de documentos: o reconhecimento de firma e a autenticação de cópias.

O reconhecimento de firma presencial (ou autêntico) é aquele onde o interessado assina o documento na presença do tabelião de notas ou de seu substituto, muito utilizado, por exemplo, nos recibos de transferência de veículos por exigência do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN.

O reconhecimento de firma por semelhança é aquele onde o tabelião de notas ou seu substituto afirma que a assinatura já lançada no documento parece (é semelhante) com a que ele conhece ou com a existente em livro ou cartão de assinaturas arquivado no cartório. O tabelião, neste caso, não certifica a autoria da assinatura.

CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS

Cada imóvel está vinculado a um Cartório de Registro de Imóveis, portanto, a “história” do imóvel, ou seja, sua descrição, sua titularidade, sua condição de estar ou não com algum ônus ou gravame (por exemplo, se está hipotecado, ou penhorado, etc) e outras informações relacionadas ao imóvel poderá ser conhecida se o interessado se dirigir ao Registro de Imóveis competente e solicitar a expedição da certidão de matrícula (certidão de filiação).

É muito importante que, ao adquirir um imóvel, o comprador leve a registro a sua escritura, pois somente mediante o registro desse título junto ao Cartório de Registro de Imóveis competente é que torna publica a operação.

Vamos exemplificar para melhor entender a necessidade do registro e assim, evitarmos ser vítima de fraude. Vejamos:

“A” vende por escritura pública de venda e compra para “B” o seu imóvel no dia 10 de janeiro de 2010. Posteriormente, o mesmo “A”, vende o mesmo imóvel, também por escritura pública para “C” no dia 05 de março de 2010.

Cuidadoso, “C” leva para registrar junto ao Registro de Imóveis a mencionada escritura. Ainda que a sua escritura tenha sido lavrada depois da escritura de “B”, o novo proprietário do imóvel será “C”.

Para “B” restará apenas buscar, em face de “A”, perdas e danos pelo prejuízo verificado, além de poder instaurar as medidas pertinentes de caráter criminal contra “A”.

Por isso, recomendamos que toda negociação imobiliária seja registrada no Cartório de Registro de Imóveis para que seja dada a devida publicidade ao ato jurídico e assim, tenha-se uma melhor segurança jurídica.

Fonte: http://casaeimoveis.uol.com.br

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Como registrar um imóvel urbano

Como já tratamos aqui, o imóvel  (propriedade) é o mais importante e complexo direito real, ele pode ser Rural ou Urbano. É o único direito real sobre a coisa própria (nossos bens), mas pra ser plenamente seu é preciso tornar publico, atráves do cartório de registro imobiliário. A seguir, iremos tratar dos procedimentos relativos ao imóvel usado, urbano e sem pendências.

Curiosidade: Você sabia que uma embarcação é considerada como imóvel e deve ser registrada como imóvel em um cartorio de registro de imoveis?


O registro imóbiliário esta dividido em etapas, são elas :
  1. Verificação da situação documental do imóvel
  2. Recolhimento de Impostos:  Municipais, Estaduais e Federais 
  3. Confecção da Escritura publica de compra e venda
  4. Registro do Imovel

1° - Documentação:
Esta é a primeira e mais importante fase do registro, e deve ser realizada antes da aquisição do imóvel, pois determinara qual o procedimento será adotado, para registro do bem.
Devemos verificar os seguintes  itens:

  • IPTU - (imposto predial e territorial urbano), este é um imposto Municipal, de obrigação do proprietário do imóvel , independente se o mesmo estiver sedido ou alugado a terceiros. O interessado na aquisição deve se dirigir até a prefeitura do municipio e solicitar uma CND - (certidão negativa de debito), em alguns municipios esta informação esta no site da Prefeitura e gratuito. Neste documento ira constar ou não se existe algum debito pendente que impessa a transferência do bem.
  • Certidão Vintenária com negativa de ônus atualizada, Esse documento é fornecido pelo Cartório de Registro de Imóveis competente e informa sobre os últimos 20 anos do imóvel - hipoteca, pendência judicial, titularidade, etc. 
  •  Contas de enerrgia elétrica, água e condomínio.
  • Matricula atualizada do imóvel para verificação de propriedades e ou inscrições de dividas.
  • Ministério do trabalho e receita federal. 
2º - Verificada a documentação a segunda fase é pagar os impostos

  • ITBI - Imposto de transmissão de imóveis (pagos a prefeitura);
3º - Apresentar o imóvel para registro:

  • Confecção da escritura ( procurar um cartório de sua confiança para elaborar a escritura do imóvel ( uma normalização do contrato de compra e venda)
  • Apresentar a escritura para registro no cartório responsável pela registro do bem naquela região)
Curiosidade: A escritura não garante a aquisição, podendo o imóvel ser negociado para outros até que um deles efetive o registro!                                                                                                                             

Parabéns ! Você agora já é o dono de um imóvel !

sexta-feira, 18 de junho de 2010

real Estate Brasil

My name is Emerson Asuncion, work in Minas Gerais, Brazil, with sales of Real Estate for investment. I'm having some opportunities. Are apartments with two bedrooms and en suite, two parking spaces, complete structure, ideal to be rented for world cup 2014. The same is beside the Pampulha Lagoon, one of the postcards of the city. Investment R $ 190,000.00, 4% rental return, recovery of 30% in 2011.
More information emerson.assuncao @ gmail.com.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

COMO PARTICIPAR DE EVENTOS DO TIPO SALÃO DO IMÓVEL, FEIRÃO DE IMÓVEIS E OUTROS

COMO PARTICIPAR DE EVENTOS DO TIPO SALÃO DO IMÓVEL, FEIRÃO DE IMÓVEIS E OUTROS

Sylvio Lindenberg*

A participação em diferentes eventos que promovem a comercialização de empreendimentos imobiliários em lançamento ou a venda de imóveis avulsos exige uma preparação prévia do estande de vendas e dos profissionais que ali estarão durante o acontecimento. Muitas vezes, o cliente sabe o que quer. Em outras, o corretor de imóveis deverá saber sugerir alternativas. O profissional deverá saber conversar sobre o imóvel que está sendo apresentado falando a “língua dos benefícios”. Todo atendimento se desdobra em uma lista de atributos: velocidade, cordialidade, conhecimento e predisposição para ajudar o cliente.
No marketing imobiliário, eventos do tipo salão do imóvel, feira, workshop e show fotográfico de imóveis são formas de promoção de vendas. Esses eventos são idealizados com a finalidade de aproximar a oferta com a demanda e gerar um esforço de vendas durante um período determinado. A característica marcante desse tipo de promoção é que os clientes vão até o local do evento, que quanto mais divulgado, maior será o fluxo de pessoas.
            As empresas do ramo imobiliário, que participam desses eventos, visam a atender diferentes objetivos como: estabelecer um contato direto com seus clientes em potencial, construir a base de sua prospecção a médio prazo, comparar-se aos concorrentes presentes no evento, realizar um estudo a respeito da situação das necessidades e respostas existentes e reforçar a imagem da empresa.

PLANEJE A SUA PARTICIPAÇÃO
A maneira mais eficaz de ser bem-sucedido como expositor é planejar a sua participação. Eleja os empreendimentos ou imóveis avulsos que serão ofertados; identifique claramente, o seu cliente-alvo; promova um treinamento com a sua equipe de corretores, engenheiros, arquitetos e todos os profissionais que estarão disponíveis durante o evento, pois a abordagem dos mesmos deve sensibilizar o cliente.
A apresentação do empreendimento ou imóvel avulso tem que, necessariamente, atrair e prender a atenção do cliente-alvo. Estudos realizados constataram que um cliente interessado em adquirir um produto consegue memorizar 70% da informação transmitida de forma oral, após 3 horas e 10% após 3 dias. Se a apresentação for somente visual, o cliente fixará 72% das informações recebidas, após 3 horas e 20% após 3 dias. Se a apresentação combinar recursos visuais, simultaneamente com uma abordagem oral, a retenção da informação será de 85% após 3 horas e de 65% após 3 dias.


APRESENTAÇÃO
DADOS RETIDOS
APÓS 3 HORAS
DADOS RETIDOS
APÓS 3 DIAS
SOMENTE ORAL
70%
10%
SOMENTE VISUAL
72%
20%
ORAL E VISUAL
85%
65%
                                                        Ilustração 1 - Fixação de uma apresentação
Todo o esforço de planejamento é importante, pois além de chamar a atenção do cliente-alvo, também se enfrenta a concorrência direta de outras corretoras de imóveis e construtoras, presentes no evento com produtos similares. A exibição oferece uma oportunidade para o cliente comparar produtos, preços e condições de pagamento. Empreendimentos e imóveis avulsos comercializados em eventos desse tipo devem apresentar atributos diferenciados. Será difícil mascarar a realidade se o produto for pouco atrativo, com preço superaviltado, com limitadas alternativas de negociação e condições de pagamento, ofertado por corretores despreparados.
O estande é o conceito visual através do qual os visitantes identificam as diferentes empresas participantes do evento. Sua concepção e realização exigem uma atenção toda particular, razão pela qual é aconselhável confiar a realização do estande a uma empresa especializada. Um estande bem apresentado facilita a utilização de toda sorte de recursos visuais. Isso aumenta a credibilidade e encanta o cliente-alvo.

TREINE A SUA EQUIPE
Muitos são os motivos que levam as pessoas a transitarem pelos estandes. Umas vão para passar o tempo, outras, por curiosidade, outras para pegar umas “lembrancinhas”, outras para passear com a família, outras para encontrar os amigos e colegas e outras para fazer uma avaliação cuidadosa dos produtos e serviços que estão sendo oferecidos. Através da resposta a pergunta: “O senhor já conhece nosso novo empreendimento?”, pode-se iniciar um diálogo. Após breve interação de perguntas-respostas, o profissional conduz a conversa servindo-se de dados tangíveis: fotos, vídeos, plantas, mapas e outros elementos[1]. O corretor deverá ser competente, trabalhando com conhecimento e informações. Enquanto realça os benefícios que o imóvel proporciona, também, qualifica o cliente. Se o cliente estiver disposto a preencher uma proposta de compra ali mesmo, ele é levado para uma área reservada para esta finalidade. Como a compra de um imóvel que, além de ser um processo complexo de comunicação e tomada de decisão, ocorre no transcurso do tempo e envolve diversas pessoas, muitos negócios são fechados após o período de realização do evento. Nesse caso, é importante a existência de um formulário para o cadastramento de clientes em potencial e de material ilustrativo com as principais informações do empreendimento ou do imóvel avulso. Caso não haja interesse, o corretor fornece um folheto mais simples. Com esse procedimento, dá-se atenção a todas as pessoas que circulam pelo estande, controla-se a distribuição do material promocional, subsidia o cliente-alvo com uma riqueza de informações que o habilita a transmiti-las ao seu “comitê de compra” e permite, a cada visitante, receber um impresso que promove a fixação da imagem da empresa, do empreendimento em lançamento ou do imóvel avulso apresentado.
Os corretores devem criar uma imagem de competência, honestidade e sinceridade. O treinamento ajuda-os a terem um excelente desempenho e controle da mensagem. Assim, poderão apresentar o empreendimento ou o imóvel avulso com informações previamente preparadas, ilustrando-as com os mais diversos recursos visuais e falando a “língua dos benefícios”.

AVALIE O SEU DESEMPENHO
    Imediatamente após o encerramento do evento, garanta a seqüência do mesmo, avaliando e entrando em contato com as pessoas que preencheram o formulário de prospecção. Faça, também, uma reunião com a sua equipe. Tire as primeiras conclusões e elabore uma lista de pontos positivos e negativos e um “checklist” da metodologia que será aplicada em uma próxima participação.

Tópicos suplementares

Estabeleça os objetivos para a empresa participar de eventos do tipo salão do imóvel, feira, workshop e show fotográfico de imóveis
·         Atrair novos clientes para a empresa
·         Medir a receptividade de um empreendimento imobiliário em lançamento
·         Divulgar a empresa
·         Avaliar as tendências do mercado
·         Analisar a concorrência
·         Marcar presença junto a potenciais clientes
·         Estabelecer outros objetivos.

1.      Pontos a serem avaliados antes da realização do evento
Para participar de eventos do tipo salão do imóvel, feira, workshop e show fotográfico de imóveis a empresa precisa avaliar se deve ou não estar presente. No marketing imobiliário, esses eventos são idealizados com a finalidade de aproximar a oferta com a demanda e gerar um esforço de vendas durante um período determinado. A característica marcante desse tipo de promoção é que os clientes vão até o local do evento, que quanto mais divulgado maior será o fluxo de pessoas.
·         Programe-se com bastante antecedência.
·         Quem são os organizadores e qual é a sua reputação?
·         Há quantos anos o evento é realizado?
·         Quantas pessoas visitaram o evento no ano passado?
·         Qual o preço do espaço físico e que serviços estão incluídos? Os primeiros garantem os melhores espaços.
·         Qual o custo de outros serviços, tais como: locação do estande, instalação, decoração, limpeza, segurança, energia, etc.
·         Qual a data limite para reserva de espaço?
·         Que tipo de imóveis a empresa irá comercializar?
·         Faça uma relação dos materiais de suporte (cartão de visitas, portfólio da empresa, folhetos / folder, formulários de prospecção) que serão necessários
·         Prepare cartões de visita para a equipe de corretores de imóveis que estarão no estande durante a realização do evento
·         Treine a equipe de corretores de imóveis
·         Relacionar outros itens.

2.      Pontos a serem avaliados durante a realização do evento
·         Tenha material promocional em quantidade suficiente para todo o evento
·         Diariamente, uma hora antes da abertura do estande, o responsável deverá apresentar uma avaliação quantitativa e qualitativa do que ocorreu no dia anterior. Na oportunidade, comentará sobre o número de imóveis vendidos e o número de opções formalizadas no dia anterior, número de clientes atendidos, número de formulários de prospecção preenchidos, observações sobre o atendimento, informações sobre o desempenho dos concorrentes e problemas ocorridos. Neste encontro são dirimidas dúvidas, refeitas as combinações e principalmente analisadas as performances individuais dos corretores de imóveis. A reunião termina com uma manifestação do responsável incentivando a equipe a enfrentar o desafio de cumprir com os objetivos acordados.

3.      Pontos a serem avaliados no final da realização do evento
·         Cruzar dados quantitativos (número de imóveis comercializados, número de clientes potenciais que registraram a sua presença no estande) e qualitativos (comentários dos clientes potenciais, percepções da organização) garante uma análise completa e confiável.
·         Métricas de avaliação de resultados
Volume de vendas por dia do evento
Volume total de vendas realizadas
Volume de vendas por tipo de imóvel comercializado
Número de pessoas atendidas
Número de formulários de prospecção de clientes preenchidos
Relação entre número de vendas efetuadas e pessoas atendidas
Número de contatos futuros agendados
Interesse demonstrado por outros tipos de imóveis não disponíveis no estande
·         Identificar os custos de presença (custo do estande, espaço, transporte, refeições e outros) e avaliar o retorno do investimento através dos negócios fechados, negócios em curso, número de visitantes no estande e na feira.
·         Enviar uma correspondência de agradecimento a todas as pessoas que registraram a sua presença no estande
·         Sugestões para a participação em futuros eventos
·         Relacionar outros itens.

LEMBRE-SE DE QUE:
Para obter sucesso na participação de eventos tipo: salão do imóvel, feira de imóveis, Feirão da Caixa e outros, programem-se com bastante antecedência.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Qual a diferença entre corretor de imóveis e Gestor imobiliário?

Os dois profissionais estão aptos a orientar, analisar e apresentar imóveis para venda ou locação, sendo que o gestor imobiliário tem sua formação, apurada em faculdades de ensino superior, onde aprende na prática e teoria o negocio imobiliário, em diversas áreas, como: Engenharia de avaliação, loteamento, direito de família, direito de propriedade, documentação imobiliária, desenho arquitetônico, matemática financeira, economia regional, teoria da administração, administração de condomínios, alugueis e venda de imóveis.

Este é um profissional proativo capaz de: planejar e gerenciar atividades comerciais; recrutar, capacitar e aperfeiçoar equipes; coordenar a prospecção e manutenção da carteira de clientes; zelar pela aplicabilidade da legislação e atenção ao cliente/consumidor; executar e gerenciar ações direcionadas à qualidade da prestação de serviços; gerenciar os resultados determinados pela política de atuação e observar as principais diretrizes estabelecidas no Código de Conduta e na regulamentação da profissão; levantar as expectativas dos clientes; atuar em ações imobiliárias; prospectar mercados em potencial sabendo propor a melhor alternativa/solução para seus clientes.

Consulte também ! Como posso diminuir despesas em meu condomínio ?